Festival de Samba de Feira de Santana

Feira de Santana terá seu primeiro Festival de Samba

O Coletivo Unidos Pelo Samba promove entre os dias 2 e 9 de dezembro o I Festival de Samba de Feira de Santana. O evento visa promover diálogos e experiências de valorização e reconhecimento do samba na cidade, além de comemorar o Dia do Samba (2 de dezembro). Pela primeira vez receberá esse tipo de evento, reunindo experiências e vivências de compositores, sambistas e admiradores do samba com o público em geral. Na programação, rodas de samba e rodas de conversa que acontecerão no Mercado de Arte Popular (MAP) e em outros pontos da cidade. De acordo com o cantor

Feira Noise Festival

Feira Noise começa nesta quinta

Começa nesta quinta-feira (24) e prossegue até o próximo domingo (26), a sétima edição do Festival Feira Noise. O evento é promovido pelo Feira Coletivo Cultural e contará com apresentações musicais de artistas de todo o Brasil,  além de espetáculos de dança, rodas de conversa, intervenções de artes visuais e outras atividades. Maior festival independente da Bahia, o Feira Noise será aberto na quinta, às 19 horas, no teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim, com a palestra Delírios Utópicos, proferida pelo teórico da contracultura e pensador contemporâneo Cláudio Prado, colunista da Mídia Ninja. Também teremos no primeiro dia do

Roberto Kuelho

Roberto Kuelho ganha Prêmio Palco MP3 com CD Sense Bulir

Um ano após o lançamento do CD Sense Bulir, o cantor Roberto Kuelho colhe frutos de seu trabalho. O artista baiano, e feirense, é um dos ganhadores do Prêmio Palco MP3 na categoria “Word Music”. O prêmio é uma realização do Palco MP3, o maior portal de música independente do Brasil. Entre as músicas em destaque no site estão “Nem precisa ser amor” e “Bem no Auge”, que foi ouvida mais de 115 mil vezes. “Esse prêmio nos deixa feliz por ser os primeiros resultado de um trabalho feito com carinho. Mostra que nosso som está encontrando as pessoas certas”,

Ciro Gomes

A palestra completa de Ciro Gomes em Feira de Santana

O presidenciável, ex-ministro dos governos Itamar Franco, Lula e Dilma, um dos criadores do Plano Real e ex-Governador do Ceará, Ciro Gomes, esteve em Feira de Santana no dia 1 de novembro, palestrando na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Na oportunidade, respondeu a perguntas de alunos e professores da Universidade. Veja o evento na íntegra:  

Homicídios em Feira de Santana

Homicídios mais que dobraram em 20 anos em Feira

No dia 05 de julho de 1997 o extinto jornal Feira Hoje, diário que circulava aqui na Feira de Santana, divulgou um balanço da violência no primeiro semestre daquele ano. Comparando com o ano anterior, houve elevação: foram 77 homicídios e três latrocínios na primeira metade do ano; em 1996, os números foram mais favoráveis: 67 homicídios e quatro latrocínios. Na soma, 80 mortes violentas no primeiro semestre de 1997 e 71 no mesmo período do ano anterior. O levantamento também informava sobre as mortes em supostos confrontos com a polícia: foram 29 em 1996 e, no ano seguinte, o

O debate sobre o Passe Livre em Feira de Santana

O conceito de educação pública gratuita vai muito além de simplesmente não cobrar mensalidade para os alunos, como fazem as escolas particulares. Para frequentar escolas, os estudantes precisam de material didático, uniforme e até merenda, que já estão incluídos no “kit” da educação pública na maior parte do Brasil. Entretanto, um fator ainda não está garantido, que é o transporte de casa para a escola e da escola para casa, fazendo com que, ainda, muitas famílias tenham dificuldade de garantir o acesso de seus filhos à educação.

Em Feira de Santana, este tema tomou o debate público por causa do Projeto de Lei 79/2013, de autoria do vereador Pablo Roberto (PMDB), que institui o passe livre para estudantes de Feira de Santana, principalmente aqueles que frequentam instituições de ensino da rede pública estadual e do município.

Para contribuir e qualificar esse debate, o Feirenses foi à busca de mais informações e experiências que contribuam com a reflexão sobre o assunto.

Entendendo o projeto e o debate

O projeto do passe livre existe desde o ano de 2013 (quando ocorreram as manifestações de rua em todo o Brasil, inclusive Feira de Santana), e, após dois anos arquivado, volta à pauta da Câmara gerando muitas discussões e polêmica. Alguns vereadores, da base do Governo e da oposição, defendem o projeto, levando em conta o benefício gerado aos estudantes, enquanto outros afirmam sua inconstitucionalidade e a geração de prejuízos nas contas governamentais e na economia do município.

Leia o Projeto de Lei 79/2013!

No vídeo abaixo (a partir de 1 hora e 58 minutos) é possível ver o debate ocorrido no último dia 05 de agosto sobre o tema. Vale a pena conferir (as imagens são da Assessoria da Câmara de Vereadores de Feira):

O vereador Pablo, autor do projeto, disse ao Feirenses que o projeto não pode ser visto como uma ameaça econômica para a cidade: “Feira de Santana é muito carente de políticas públicas voltadas para a infância e a juventude, e qualquer medida que seja voltada para essas pessoas deve ser vista com bons olhos. O PL 79/2013 determina que a parcela da nossa população que tem pouco, ou quase nenhum recurso, possa ter tranquilidade e o direito de estudar sem ter que fazer o pagamento da passagem”.

O caso de Dona Sheila

Em Feira de Santana, a passagem de ônibus custa R$2,70 reais. Estudantes têm direito à meia passagem, pagando, assim, R$1,35 real por condução. Considerando a ida e a volta para a escola, de segunda a sexta, o gasto mensal das famílias, por filho estudante, é de R$54,00 reais, o que corresponde a cerca de 7% do salário mínimo.

O gasto se acentua com famílias que possuem mais de um filho estudante, a exemplo da casa de Dona Sheila dos Santos Martins, que mora no bairro Gabriela e tem três filhos. Dois deles estudam em escola pública e precisam pegar ônibus todos os dias para ir ao colégio, que fica no bairro Baraúnas. Com idade de 13 e 9 anos, os meninos estudam em um bairro distante de onde moram, devido à dificuldade de encontrar vagas nas escolas mais próximas.

“Às vezes abro mão de tanta coisa, deixo de fazer até um benefício para os meus filhos porque o dinheiro não dá”

Dona Sheila todos os dias também pega ônibus para levá-los ao colégio, e relata as dificuldades com relação ao gasto que a família tem com transporte: “Sou sozinha, não tenho marido, vivo de um bico aqui, outro ali. O gasto com o transporte todos os dias é muito. Já é um dinheiro que serve para um pão, ajuda na alimentação e outras coisas. Eu sei das consequências disso e às vezes abro mão de tanta coisa, deixo de fazer até um benefício para os meus filhos porque o dinheiro não dá. Se esse projeto for aprovado, além de facilitar vai diminuir os custos, vai gerar economia para o meu bolso”.

O que dizem os estudantes

Ouvimos também alguns estudantes da rede pública em Feira de Santana, que se mostram favoráveis ao projeto, e acrescentam críticas ao transporte público na cidade. É o caso de Ariel Schultz, que cursa o 2º ano do ensino médio no Colégio Luis Eduardo Magalhães: “A aprovação desse projeto é extremamente necessária, pois nós, estudantes, temos um gasto mensal absurdo com transporte. É um valor abusivo, principalmente devido à péssima qualidade do transporte. Os ônibus estão sujos, acabados e demoram horas para passar no ponto”.

Micael Vitor Martins, também do Colégio Luis Eduardo Magalhães, concorda com Ariel: “O custo da passagem, ainda que seja a metade, pesa muito no bolso. Moro com meus avós e eles reclamam muito, principalmente quando o colégio agenda atividade no turno oposto. É um valor alto que temos que pagar”.

“Se o transporte não é bom, a gente não deveria pagar passagem, principalmente nós, estudantes de escola pública”

Já Vinícius Cerqueira dos Santos, da Escola Municipal Maria Quitéria, lembra que o passe livre pode ajudar até mesmo no aumento de sua mesada: “O dinheiro da passagem de ônibus que eu utilizo, meus pais já incluem na minha mesada. Se for valer o passe livre, ai vai ser uma economia para mim também”. Ele também fala sobre a qualidade do transporte: “Vejo muitos colegas que não tem condições de pagar passagem e até vão a pé para a escola. Se o transporte não é bom, a gente não deveria pagar passagem, principalmente nós, estudantes de escola pública”.

A votação do projeto

A previsão é que o projeto seja votado no próximo dia 12 de agosto. O vereador Pablo Roberto insere a discussão sobre o passe livre no contexto da discussão sobre BRT em Feira de Santana: “É importante que nesse momento nós possamos discutir uma legislação moderna, que tenham uma relação com a sociedade, para que quando as novas empresas de ônibus cheguem, para que quando o sistema BRT esteja funcionando, essas empresas que vão explorar o serviço já tenham o conhecimento que Feira de Santana tem essa legislação e que eles precisam se adequar, junto com o Governo Municipal, para assegurar a gratuidade dessa parcela da população”.


Sobre o (a) autor (a):