Novas regras para utilizar som

As novas regras para utilização de som em Feira de Santana

Foi publicada no Diário Oficial de Feira de Santana uma nova Lei tratando sobre a emissão de sons urbanos, fixando níveis e horários em que será permitida a emissão, além de possibilitar doação, leilão e destruição de equipamentos sonoros apreendidos. De acordo com a Lei 3.736, os níveis máximos de sons e ruídos, de qualquer fonte emissora e natureza, em empreendimentos ou atividades residenciais, comerciais de serviços, institucionais, industriais ou especiais, públicas ou privadas, sons e ruídos causados por máquinas, motores, compressores ou geradores estacionários, assim como em veículos automotores são de: 60 db (sessenta decibéis), no período compreendido entre

Cadastramento Biométrico

A interminável espera para o recadastramento biométrico

Tenho visto, com frequência, reclamações de eleitores sobre a dificuldade de fazer o cadastramento biométrico no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aqui na Feira de Santana. O serviço, pelo que percebo, é péssimo nas duas modalidades: seja tentando agendar horário pela Internet, seja comparecendo ao posto para enfrentar filas monumentais e ficar, horas intermináveis, aguardando atendimento, exposto ao sol, à chuva e a uma humilhação injustificável. Adepto moderado das novas tecnologias – e de um mínimo de comodidade – tento, há semanas, agendar o bendito atendimento, sem sucesso. Invariavelmente, as vagas são todas preenchidas em alguns poucos minutos: nunca consegui, sequer,

Superlotado, Conjunto Penal segue esquecido no noticiário

O Conjunto Penal de Feira de Santana abriga, no total, quase dois mil internos. São, precisamente, 1.912 pessoas encarceradas na unidade prisional. Há muito mais gente do que vaga: oficialmente, existe capacidade para abrigar 1.356 internos. A quantidade de presos excedentes, portanto, está em exatos 556. É gente suficiente para lotar um desses presídios modernos, nos quais se alojam menos internos. Note-se que, recentemente, a unidade penal feirense passou por uma ampliação. Os números acima são oficiais e integram um balanço recente, referente ao mês de julho, divulgado pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária e Ressocialização, a SEAP. No interior,

Por que as motos de baixa cilindrada inundam o trânsito de Feira

Em São Paulo-SP, existe uma motocicleta para cada 15 habitantes. Em Salvador, são 22 habitantes para cada motocicleta. Em Aracaju, para cada motocicleta, há 10 habitantes. Em Feira de Santana, são apenas 6 habitantes por motocicletas. A quantidade de motonetas, motos dirigidas pelo condutor em posição sentada, em Feira de Santana chama ainda mais a atenção. No ranking nacional, de acordo com dados do DENATRAN (2016), Feira fica atrás apenas de seis capitais na quantidade de motonetas. Estamos à frente de metrópoles como Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Fortaleza. São mais de 18 mil motonetas contabilizadas no município. Para

Maryzélia no Encontro

Cantora feirense Maryzélia participa do Encontro com Fátima [vídeos]

A sambista feirense Maryzélia conquistou mais um degrau de visibilidade nacional nesta terça, com a participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, da Rede Globo. Maryzélia cantou com Pretinho da Serrinha, cantor, compositor, instrumentista que tem parcerias em sua carreira com grandes nomes da MPB, a exemplo de Beth Carvalho, Arlindo Cruz, Seu Jorge, Marisa Monte, Lulu Santos, Dona Ivone Lara, Caetano Veloso e Teresa Cristina. Veja alguns momentos da participação de Maryzélia:  

Nossos próprios encontros e desencontros

Em 2003, Sofia Coppola lançava sua obra-prima nos cinemas. Encontros e Desencontros ou Lost in translation, no original. É um filme sobre solidão, acasos, conflitos internos e relações humanas em meio ao exagero urbano de Tóquio.

Quantas vezes já nos sentimos sozinhos por estar longe da nossa, real, casa? Ou não tomamos decisões de melhorias por causa de outras pessoas? E quando tudo pode estar insuportavelmente desgastado, surgem acasos que nos levam a outras direções?

Tóquio não é Feira, a população de lá não é a daqui. Mas as mazelas de uma sociedade individualista e que cresce demais é igual em todo lugar.

“Encontrei a oportunidade de fazer de Feira minha casa, até onde a gente se suportar.”

Eu não sou a Charlotte ou Bob Harris (personagens principais do filme), mas sei como é estar em um lugar novo, sem ninguém próximo e só esperando as coisas acontecerem. Quando vim para Feira, só a conhecia de passagem. Vim recomeçar a vida, buscar novos horizontes e de certa forma me encontrar em um lugar que eu não sabia nem me localizar dentro do buzão. Passei algum tempo solitário e esperando os tais acasos. Curtindo o meu próprio individualismo.

Encontros e Desencontros

Scarlett Johansson em Encontros e Desencontros, 2003.

Achei o acaso e o segui. Feira que era uma cidade comerciante sem graça, sem quebrada, desengonçada se transforma em um lugar maneiro. Encontrei Feira, a cidade que traz oportunidades. Encontrei em Feira uma cidade alternativa onde se acha todo tipo de gente. Encontrei em Feira um lugar cheio de contrastes. Tranquilidade ao amanhecer na beira da Lagoa e o caos da Getúlio às 6 da tarde. Aqui é feio com tanta beleza. Feira é arte disfarçada.

Aceitei o acaso de crescer para o mundo. Querer fazer parte dele. Aceitei que somos conflitos e uma força natural de adaptação. Desencontrei das inseguranças de recomeçar do novo. Encontrei a oportunidade de fazer de Feira minha casa, até onde a gente se suportar.

Desencontrei de mim mesmo. E encontrei a mim mesmo… Só que em Feira.


Sobre o (a) autor (a):