Rio Jacuípe

O Feirenses vai voltar!

O Feirenses vai voltar!

Desde quando iniciamos, em maio de 2015, sabíamos que fazer o Feirenses seria desafiador. Uma iniciativa completamente independente, sem vínculos com quaisquer organizações (públicas ou privadas) e ambiciosa: criatividade, inovação, profundidade, originalidade, democracia e coletividade foram algumas palavras-chave que os/as fundadores/as entusiasticamente pronunciavam em cada conversa pré e pós-produção dos conteúdos. Três anos após a primeira publicação, podemos dizer com orgulho que contribuímos para o ambiente de publicações em Feira de Santana, e que tudo estaria bem se continuássemos hibernando – como ocorre há quase um ano. Importante dizer que essa suspensão das atividades do Feirenses deu-se pela própria natureza

Festival de Samba de Feira de Santana

Feira de Santana terá seu primeiro Festival de Samba

O Coletivo Unidos Pelo Samba promove entre os dias 2 e 9 de dezembro o I Festival de Samba de Feira de Santana. O evento visa promover diálogos e experiências de valorização e reconhecimento do samba na cidade, além de comemorar o Dia do Samba (2 de dezembro). Pela primeira vez receberá esse tipo de evento, reunindo experiências e vivências de compositores, sambistas e admiradores do samba com o público em geral. Na programação, rodas de samba e rodas de conversa que acontecerão no Mercado de Arte Popular (MAP) e em outros pontos da cidade. De acordo com o cantor

Feira Noise Festival

Feira Noise começa nesta quinta

Começa nesta quinta-feira (24) e prossegue até o próximo domingo (26), a sétima edição do Festival Feira Noise. O evento é promovido pelo Feira Coletivo Cultural e contará com apresentações musicais de artistas de todo o Brasil,  além de espetáculos de dança, rodas de conversa, intervenções de artes visuais e outras atividades. Maior festival independente da Bahia, o Feira Noise será aberto na quinta, às 19 horas, no teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim, com a palestra Delírios Utópicos, proferida pelo teórico da contracultura e pensador contemporâneo Cláudio Prado, colunista da Mídia Ninja. Também teremos no primeiro dia do

Roberto Kuelho

Roberto Kuelho ganha Prêmio Palco MP3 com CD Sense Bulir

Um ano após o lançamento do CD Sense Bulir, o cantor Roberto Kuelho colhe frutos de seu trabalho. O artista baiano, e feirense, é um dos ganhadores do Prêmio Palco MP3 na categoria “Word Music”. O prêmio é uma realização do Palco MP3, o maior portal de música independente do Brasil. Entre as músicas em destaque no site estão “Nem precisa ser amor” e “Bem no Auge”, que foi ouvida mais de 115 mil vezes. “Esse prêmio nos deixa feliz por ser os primeiros resultado de um trabalho feito com carinho. Mostra que nosso som está encontrando as pessoas certas”,

Ciro Gomes

A palestra completa de Ciro Gomes em Feira de Santana

O presidenciável, ex-ministro dos governos Itamar Franco, Lula e Dilma, um dos criadores do Plano Real e ex-Governador do Ceará, Ciro Gomes, esteve em Feira de Santana no dia 1 de novembro, palestrando na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Na oportunidade, respondeu a perguntas de alunos e professores da Universidade. Veja o evento na íntegra:  

A origem dos nomes dos bairros de Feira (parte #1)

Uma das curiosidades pouco esclarecidas entre os feirenses é sobre o nome dos bairros da cidade, que possuem origem diversa e contam um pouco a história e cultura locais. Fizemos uma pesquisa em livros, sites e blogs para tentar desvendar a raiz da nomenclatura de cada localidade, e chegamos aos resultados a seguir.

Caso encontre erros, discordâncias ou queira acrescentar informações para a segunda parte desse levantamento, deixe um comentário. Confira:

Brasília

O bairro se chama assim em homenagem à Capital Federal, que estava sendo construída à época em que o bairro estava sendo estruturado.

Pedra do Descanso

O bairro leva esse nome devido a ter sido o local em que Lucas Evangelista, o Lucas da Feira, utilizava para descansar após suas incursões pela Bahia.

Caseb

O Governo da Bahia tinha nesse bairro um armazém, onde depositava insumos que socorriam a população em tempos difíceis, não permitindo as grandes altas no preço dos produtos e funcionando como regulador de mercado. Na região do entorno da Avenida João Durval, antiga Avenida Anchieta, existiam apenas dois prédios: um deles era da Usina Itapetingui e o outro, onde hoje fica a Cesta do Povo, funcionava o armazém da CASEB (Companhia de Armazéns e Silos do Estado da Bahia), que deu nome ao bairro.

Baraúnas

O bairro Baraúnas recebe essa denominação devido às inúmeras árvores de baraúna que ali se encontravam. Hoje, não é comum ver árvores dessa espécies por lá, que nasceu a partir de uma fazenda de gados, os quais eram vendidos no Campo do Gado Velho e nas feiras livres da cidade.

Com o passar do tempo, a área foi adquirindo importância pelo comércio do gado, atraindo pessoas até mesmo de outros estados, como Sergipe e Pernambuco. Criou-se então currais, matadouros e charqueadas, além das instalações de algumas fábricas.

Tomba

É o elo entre Feira de Santana e São Gonçalo dos Campos. Conta-se que o bairro ganhou esse nome porque o trem passava por ali e, em certo dia, alguns vagões tombaram naquela região. É o bairro mais populoso da cidade.

Gabriela

Uma particularidade do bairro é que a grande maioria de suas ruas, assim como o próprio nome Gabriela, homenageia antigas telenovelas. Alguns nomes de rua do Gabriela: Zazá, Torre de Babel, Indomada e Corpo Dourado.

Sobradinho

Reza a lenda que ali se localizava um sobrado antigo e mal assombrado que assustava toda a população de Feira de Santana. Outra versão contesta a primeira e diz que onde hoje é o bairro do Sobradinho localizava-se um sobrado dos Padres Jesuítas e que servia como depósito de ouro, trazido pelos tropeiros das minas de Mundo Novo e de Jacobina.

SIM

Esse bairro é recente na história do município e ganhou este nome em virtude da instalação do Serviço de Integração do Migrante que surgiu no governo de João Durval Carneiro. O SIM atendia migrantes, possibilitando-lhes alfabetização intensiva, tratamento da saúde, documentação civil e capacitação profissional em até dois cursos, principalmente na área da indústria e da construção civil.

Aviário

O ex-governador Landulfo Alves, a fim de estimular a criação de ave, implantou ali um criatório de galinhas. Diz-se que a idéia era mostrar à população como poderia haver um criatório deste tipo de ave de forma sadia. Atualmente não mais existe esse criatório.

Conceição

Chamou-se Santo Antônio Velho outrora, e foi mais tarde batizado com o nome de Conceição em virtude da construção da Igreja de Nossa Senhora da Conceição (sede da Paróquia Imaculada Conceição).

Asa Branca

O local que hoje é o bairro era uma grande chácara do Sr. Antônio Alves. Nessa chácara vendia-se uma cachaça que tinha por nome Água-ardente Asa Branca. Tempos depois, foi-se loteando esse terreno e assim foi nascendo o bairro.

 


 

Você sabe a origem do nome de outros bairros feirenses, ou tem informações a acrescentar sobre os bairros citados? Deixe um comentário neste post!

Tags:

Sobre o (a) autor (a):