A música regional do nordeste em 5 discos dos anos 1970

Que os anos de 1970 foram, de modo geral, bastante conturbados, isso não é novidade para ninguém, todavia, poucas épocas nos deixaram um legado de diversidade musical tão grande. Seja com o fim do classic rock ou com o nascimento da discoteca, da incorporação de instrumentos eruditos ao rock’n’roll, à revitalização do samba carioca, ambos iniciados no final dos anos 60, a década de 70 também se responsabilizou por muitos outros “resgates”, entre eles, o da música nordestina. Na segunda metade da década de 70, muitos artistas surgiram com a proposta de trazer de volta o que havia de mais

Quando Luiz Gonzaga vinha a Feira de Santana

De acordo com relatos de fontes diversas, sabe-se que Luiz Gonzaga, o Gonzagão, ícone maior da música nordestina, esteve algumas vezes da sua extensa carreira em Feira de Santana. O jornalista e colecionador de reminiscências feirenses Adilson Simas é uma das fontes mais confiáveis nesse sentido, lembrando uma das ocasiões em que o Rei do Baião pisou em terras feirenses: “Em 1973, ano do seu centenário de emancipação política, a Feira de Santana, de janeiro a dezembro, recebeu grandes personalidades. Luiz Gonzaga, mais tarde laureado com o título de Cidadão Feirense e que aqui fez várias apresentações, desde a marquise

Estacionamento de motos em Feira de Santana

A nova regra para motos em estacionamentos privados de Feira

Os proprietários de motocicletas em Feira de Santana não precisarão pagar o mesmo valor dos carros quando forem utilizar  estacionamentos privados no município. Foi publicada uma Lei Municipal regulamentando a situação no Diário Oficial do Município. Veja a Lei na íntegra: Dispõe sobre os critérios de diferentes taxas cobradas em estacionamentos privativos para motocicletas e automóveis. O PREFEITO MUNICIPAL DE FEIRA DE SANTANA, ESTADO DA BAHIA, FAÇO saber que a Câmara Municipal, através do Projeto de Lei nº 16/2017, de autoria do Edil Ewerton Carneiro da Costa, decretou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º – Fica posto em

Neném do Acordeon

Neném do Acordeon: em defesa da sanfona [Feirenses TV]

Os festejos juninos são o principal marco de celebração da cultura nordestina, momento em que todos os elementos típicos do espírito e da geografia do Nordeste se manifestam na culinária, no entretenimento, nas vestimentas e na música. Nesse sentido, é impossível falar desse momento cultural sem considerar a importância e o protagonismo do forró, em suas mais diversas expressões. E falar em forró exige lembrar de Luiz Gonzaga, que popularizou o xote, o xaxado e o baião pelo Brasil e pelo mundo. Por isso trazemos à Feirenses TV um dos principais defensores da tradição da genuína música nordestina, inspirada no

Tripa frita - Seu Dino

Seu Dino do Módulo 8, no Feira VI – Locais para comer tripa em Feira

Apesar de já ter feito, em outra oportunidade, um artigo indicando alguns lugares para comer tripa na cidade, pude perceber ao longo do tempo que, apesar de não parecer, ela está entre um dos tira-gostos mais pedidos nos bares da região. Somando isso com toda a representatividade regional e peculiaridade do prato, vamos dar continuidade à indicação de lugares pra comer tripa em Feira de Santana. Seu Dino do Módulo 8 – Feira VI O Módulo 8, é um conjunto de bares pequenos que ficam próximo ao portão lateral da UEFS, dando a ideia de continuidade, já que a universidade tem

Mais um dia da Mostra de Cinema do Nordeste em Feira

Divulgamos aqui no Feirenses a I Mostra de Cinema do Nordeste, que está ocorrendo durante este mês de janeiro em Feira de Santana, com produções de destaque no cinema nordestino. A mostra tem entrada gratuita e ocorre no Centro de Cultura Amélio Amorim. Veja quais são os filmes que serão exibidos na próxima quinta-feira (28):

Manhã – Sessão Documentário – 10h

Curta – Laje do Céu

Direção – Leonardo França (Bahia, 2012, 15 min)

Laje do Céu

Vento na cara, no vestido e no espelho. Sussurros. No avançar de imagens no retrovisor da memória, uma cidade se apresenta em suas ausências.

Longa – Rabeca

Direção – Caetano Dias (Bahia, 2013, 71min)

Rabeca

Eder Fersant, jovem músico radicado na Bahia, em uma viagem de Irecê à Correntina, revela os mitos regionais, os personagens, os sons e a riqueza cultural do sertão nordestino, apresentando cruamente o desaparecimento da tradição dos mestres rabequeiros. A Rabeca, instrumento que acompanha o músico durante a viagem, é utilizada como elemento de ligação entre os personagens no filme. O foco da narrativa nos conduz à história de personagens como Dona Dominga da Rabeca, octagenária e mestre rabequeira.

Tarde – Sessão Ficção – 14h

Curta – Sandrine

Direção – Elen Linth e Leandro Rodrigues (Bahia /Amazônia, 2015, 12min)

Sandrine

Entra a matemática e a relação conturbada com a mãe, Sandrine espera por uma cirurgia no corredor do hospital.

Longa – A Seita

Direção – André Antônio (Pernambuco, 2015, 70 min)

A Seita

No ano 2040, a cidade do Recife está deserta e em ruínas. Ela foi abandonada pelos endinheirados, que migraram para colônias espaciais. O filho de uma dessas famílias ricas, entediado em sua nova morada, decide voltar. Em Recife, ele redecora a antiga casa onde morou e gasta seu tempo lendo, passeando e se envolvendo com vários homens. Aos poucos, porém, percebe sinais estranhos pela cidade e descobre a existência de uma seita secreta.


Não perca: a partir das 10h da próxima quinta-feira.


Sobre o (a) autor (a):