Festival de Samba de Feira de Santana

Feira de Santana terá seu primeiro Festival de Samba

O Coletivo Unidos Pelo Samba promove entre os dias 2 e 9 de dezembro o I Festival de Samba de Feira de Santana. O evento visa promover diálogos e experiências de valorização e reconhecimento do samba na cidade, além de comemorar o Dia do Samba (2 de dezembro). Pela primeira vez receberá esse tipo de evento, reunindo experiências e vivências de compositores, sambistas e admiradores do samba com o público em geral. Na programação, rodas de samba e rodas de conversa que acontecerão no Mercado de Arte Popular (MAP) e em outros pontos da cidade. De acordo com o cantor

Feira Noise Festival

Feira Noise começa nesta quinta

Começa nesta quinta-feira (24) e prossegue até o próximo domingo (26), a sétima edição do Festival Feira Noise. O evento é promovido pelo Feira Coletivo Cultural e contará com apresentações musicais de artistas de todo o Brasil,  além de espetáculos de dança, rodas de conversa, intervenções de artes visuais e outras atividades. Maior festival independente da Bahia, o Feira Noise será aberto na quinta, às 19 horas, no teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim, com a palestra Delírios Utópicos, proferida pelo teórico da contracultura e pensador contemporâneo Cláudio Prado, colunista da Mídia Ninja. Também teremos no primeiro dia do

Roberto Kuelho

Roberto Kuelho ganha Prêmio Palco MP3 com CD Sense Bulir

Um ano após o lançamento do CD Sense Bulir, o cantor Roberto Kuelho colhe frutos de seu trabalho. O artista baiano, e feirense, é um dos ganhadores do Prêmio Palco MP3 na categoria “Word Music”. O prêmio é uma realização do Palco MP3, o maior portal de música independente do Brasil. Entre as músicas em destaque no site estão “Nem precisa ser amor” e “Bem no Auge”, que foi ouvida mais de 115 mil vezes. “Esse prêmio nos deixa feliz por ser os primeiros resultado de um trabalho feito com carinho. Mostra que nosso som está encontrando as pessoas certas”,

Ciro Gomes

A palestra completa de Ciro Gomes em Feira de Santana

O presidenciável, ex-ministro dos governos Itamar Franco, Lula e Dilma, um dos criadores do Plano Real e ex-Governador do Ceará, Ciro Gomes, esteve em Feira de Santana no dia 1 de novembro, palestrando na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Na oportunidade, respondeu a perguntas de alunos e professores da Universidade. Veja o evento na íntegra:  

Homicídios em Feira de Santana

Homicídios mais que dobraram em 20 anos em Feira

No dia 05 de julho de 1997 o extinto jornal Feira Hoje, diário que circulava aqui na Feira de Santana, divulgou um balanço da violência no primeiro semestre daquele ano. Comparando com o ano anterior, houve elevação: foram 77 homicídios e três latrocínios na primeira metade do ano; em 1996, os números foram mais favoráveis: 67 homicídios e quatro latrocínios. Na soma, 80 mortes violentas no primeiro semestre de 1997 e 71 no mesmo período do ano anterior. O levantamento também informava sobre as mortes em supostos confrontos com a polícia: foram 29 em 1996 e, no ano seguinte, o

Crônicas da Micareta de Feira – Os que manipulam, mas não pulam

Que a nossa Micareta vem sofrendo perdas nos últimos anos, não há dúvidas. Mas dizer que ela já acabou é um equívoco. O que se faz necessário é ir ao centro dos pontos cruciais que resultam em queda.

O saudoso prefeito Colbert Martins da Silva teve a infeliz ideia de mudar o período da Micareta, que era de sábado a terça, passando a ser de quinta a domingo. Em 1997, ao reassumir a Prefeitura, José Falcão da Silva, o Zé Festinha, em um dos seus primeiros decretos, ordenou que a festa retornasse de sexta a terça-feira. Quis o destino que, neste mesmo ano, Zé fosse chamado por Deus.

Em seguida, o sucessor, Clailton Costa Mascarenhas, o pior gestor que essa cidade já teve, se trancou na calada da noite – sabe-se lá com quem – e reposicionou a festa de quinta a domingo. Aí, surgiram os primeiros sinais negativos. Somado a isso, o comércio não fechava e não fecha até hoje, nem quinta e nem sexta, o que afugenta o folião, haja vista que quem vai trabalhar sexta, obviamente, não vai brincar na quinta. A Associação Comercial não abre mão de manter as lojas abertas, alegando prejuízos.

“As pessoas que manipulam a Micareta são justamente aquelas que não pulam”

O que não dá para entender é o fato de que esse mesmo comércio fecha as portas no Carnaval, mesmo sem a festa acontecer em Feira de Santana. Enquanto isso, o Shopping Boulevard promove uma verdadeira escravização aos que ali trabalham, pois estes também são obrigados a trabalhar até o sábado. Dessa maneira fica claro um dos motivos da aparente decadência da folia momesca local.

É lógico que se levarmos em conta que 70% dos foliões são comerciários, não há como a festa ter sucesso, e por isso também alguns blocos ficam vazios. Em resumo: as pessoas que manipulam a Micareta são justamente aquelas que não pulam; mas que acabam ganhando dinheiro.


Sobre o (a) autor (a):