Festival de Samba de Feira de Santana

Feira de Santana terá seu primeiro Festival de Samba

O Coletivo Unidos Pelo Samba promove entre os dias 2 e 9 de dezembro o I Festival de Samba de Feira de Santana. O evento visa promover diálogos e experiências de valorização e reconhecimento do samba na cidade, além de comemorar o Dia do Samba (2 de dezembro). Pela primeira vez receberá esse tipo de evento, reunindo experiências e vivências de compositores, sambistas e admiradores do samba com o público em geral. Na programação, rodas de samba e rodas de conversa que acontecerão no Mercado de Arte Popular (MAP) e em outros pontos da cidade. De acordo com o cantor

Feira Noise Festival

Feira Noise começa nesta quinta

Começa nesta quinta-feira (24) e prossegue até o próximo domingo (26), a sétima edição do Festival Feira Noise. O evento é promovido pelo Feira Coletivo Cultural e contará com apresentações musicais de artistas de todo o Brasil,  além de espetáculos de dança, rodas de conversa, intervenções de artes visuais e outras atividades. Maior festival independente da Bahia, o Feira Noise será aberto na quinta, às 19 horas, no teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim, com a palestra Delírios Utópicos, proferida pelo teórico da contracultura e pensador contemporâneo Cláudio Prado, colunista da Mídia Ninja. Também teremos no primeiro dia do

Roberto Kuelho

Roberto Kuelho ganha Prêmio Palco MP3 com CD Sense Bulir

Um ano após o lançamento do CD Sense Bulir, o cantor Roberto Kuelho colhe frutos de seu trabalho. O artista baiano, e feirense, é um dos ganhadores do Prêmio Palco MP3 na categoria “Word Music”. O prêmio é uma realização do Palco MP3, o maior portal de música independente do Brasil. Entre as músicas em destaque no site estão “Nem precisa ser amor” e “Bem no Auge”, que foi ouvida mais de 115 mil vezes. “Esse prêmio nos deixa feliz por ser os primeiros resultado de um trabalho feito com carinho. Mostra que nosso som está encontrando as pessoas certas”,

Ciro Gomes

A palestra completa de Ciro Gomes em Feira de Santana

O presidenciável, ex-ministro dos governos Itamar Franco, Lula e Dilma, um dos criadores do Plano Real e ex-Governador do Ceará, Ciro Gomes, esteve em Feira de Santana no dia 1 de novembro, palestrando na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Na oportunidade, respondeu a perguntas de alunos e professores da Universidade. Veja o evento na íntegra:  

Homicídios em Feira de Santana

Homicídios mais que dobraram em 20 anos em Feira

No dia 05 de julho de 1997 o extinto jornal Feira Hoje, diário que circulava aqui na Feira de Santana, divulgou um balanço da violência no primeiro semestre daquele ano. Comparando com o ano anterior, houve elevação: foram 77 homicídios e três latrocínios na primeira metade do ano; em 1996, os números foram mais favoráveis: 67 homicídios e quatro latrocínios. Na soma, 80 mortes violentas no primeiro semestre de 1997 e 71 no mesmo período do ano anterior. O levantamento também informava sobre as mortes em supostos confrontos com a polícia: foram 29 em 1996 e, no ano seguinte, o

Julieta Carteado: a mulher que dá nome à maior biblioteca de Feira

Como sabemos, Feira de Santana é uma cidade construída por artífices oriundos(as) de diversas cidades da Bahia e do Brasil (para não falar de quem vem de fora do país, como os chineses que povoam o Feiraguay). Não é de se espantar, portanto, que a maior biblioteca de Feira tenha sido fundada com a colaboração central de alguém de fora, principalmente numa época em que poucos eram os entendidos de biblioteconomia por aqui – em 1976, ano de fundação da Biblioteca Central da UEFS.

Se faz muito sentido que um “estrangeiro” tenha protagonismo em Feira de Santana, o cenário de normalidade é relativizado quando sabemos que uma mulher negra foi a primeira diretora da Biblioteca Central. Nascida em 12 de setembro de 1927, Julieta Carteado Monteiro Lopes é essa referência, após ter se formado em biblioteconomia em 1967.

Julieta Carteado no hall principal da Biblioteca da UEFS

Julieta Carteado no hall principal da Biblioteca da UEFS. Foto: Acervo UEFS

Filha de Manoel da Mota Monteiro Lopes e Edith Carteado Monteiro Lopes, Julieta nasceu em Ilhéus, e foi a primeira bibliotecária concursada da UEFS. O Reitor da época, Dr. Geraldo Leite, nomeou Julieta diretora da Biblioteca, cargo que exerceu durante 12 anos. Também foi membro do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEP) e chefe da Seção de Referência da Universidade.

Biblioteca Julieta Carteado

Biblioteca Central da UEFS: à esquerda, o busto de Julieta Carteado. Foto: UEFS

Além do papel histórico para a Universidade Estadual de Feira de Santana, Julieta era escritora, poeta e pintora. Chegou a participar de uma exposição promovida pela Fundação Cultural do Estado da Bahia na Biblioteca Central do Estado (Salvador/Barris) em 1981. Também tinha como costume doar suas telas a amigos e colegas de trabalho. Antes do seu falecimento, em 1994, escrevia um livro que falava sobre os grandes amores da humanidade.

A seguir, um cartão de Natal confeccionado por Julieta, em 1992:

Cartão de Natal de Julieta Carteado

Julieta foi membro da Academia Feirense de Letras, é patrona da cadeira 24 da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana e uma das fundadoras da Associação Cristã Feminina de Feira de Santana. Um currículo invejável para qualquer intelectual da sua época.

Rejane Maria Rosa Ribeiro, cuja descrição biográfica de Julieta consultamos para realizar esta publicação, escreve o seguinte sobre a bibliotecária: “Carismática, inteligente, bondosa, meiga, passou por momentos de preconceito por ser mulher e negra, sem nunca dizer uma palavra maledicente, revelando seu lado religioso, sua fé em Deus e tolerância com os homens”.

Julieta Carteado

Julieta e sua equipe de trabalho na UEFS. Foto: Acervo UEFS

Em sua homenagem, a UEFS nomeou sua Biblioteca Central de Julieta Carteado, reconhecendo justamente os esforços daquela que dedicou sua vida a um dos maiores acervos bibliográficos do estado. Que sua memória nunca se perca!

 

Obras consultadas:

  • “Julieta Carteado: mulher, poetisa, pintora e bibliotecária”, de Rejane Maria Rosa Ribeiro
  • “Os Imortais da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana”, de Lélia Vitor Fernandes
  • Site da Biblioteca Central Julieta Carteado

 


Sobre o (a) autor (a):

  • Nathalia Almeida

    Parabéns pela matéria pessoal! To adorando o site. Cada dia com matérias mais ricas!