Santini & Trio

Santini & Trio vence o Prêmio Caymmi de Música

Feira de Santana foi destacada no Prêmio Caymmi de música, que pode ser considerada a principal premiação da música baiana na atualidade. Concorrendo com iniciativas musicais de todo o estado, o grupo feirense Santini & Trio foi vencedor na categoria “Melhor Banda”. O prêmio de melhor instrumentista também veio para Feira de Santana, entregue ao baterista Flaviano Gallo (integrante do Santini & Trio).   Integram o grupo o guitarrista Rony Santini, o baterista Flaviano Gallo, o pianista e acordeonista Rogério Ferrer e o baixista Anderson Silva.   Um orgulho para quem é feirense e (re)conhece a qualidade da nossa música

Justiniano entra com Mandado de Segurança contra José Ronaldo

Está no portal do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) um pedido de Mandado de Segurança impetrado pelo vereador eleito e atual secretário de Serviços Públicos da Prefeitura Municipal de Feira de Santana, Justiniano França. Justiniano, através da advogada Lady Daiane da Silva, alega ter pedido exoneração do cargo, tendo sido a solicitação indeferida pela Prefeito Municipal José Ronaldo. O pedido de liminar já foi julgado pelo Juiz Gustavo Rubens Hungria, que deu o prazo de 5 dias para que o Prefeito exonere o Secretário, sob pena de multa de R$1.000,00 mil reais: Veja aqui a decisão na íntegra! Fontes

Estrada Feira-Serrinha

Viagem entre Feira e Serrinha segue como calvário

Apenas 65 quilômetros separam Feira de Santana de Serrinha através da BR 116 Norte. O intercâmbio entre as duas cidades é intenso: muita gente sai daquela cidade para fazer compras e acessar serviços por aqui, em função dos preços mais em conta; outros buscam atendimento especializado na área de saúde; há aqueles que residem numa cidade e trabalham na outra, robustecendo o fluxo entre as duas localidades; estudantes de Serrinha são alunos da Uefs e de outras instituições de ensino superior feirenses; e não falta quem resida na Feira de Santana, mas frequente o campus da Uneb lá em Serrinha,

Meia Noite em Feira

Meia noite em Paris Feira

Meia-Noite em Paris é uma das obras primas do mestre Woody Allen. Como de costume, ele narra sobre a vida. Logo após a projeção ficamos com aquele ar de reflexão sobre onde nos encontramos no momento, se gostamos do jeito que estamos vivendo, como nos relacionamos e como devemos encarar algumas realidades. Em certo momento do longa, o personagem Gil (Owen Wilson) faz a seguinte pergunta: “Como esta cidade pode ser tão mágica?”. Gil se encanta por Paris. Enxerga o que aquela cidade pode oferecer. Se sente bem ali, absorve inspiração para seus projetos e o faz refletir, repetidamente, se

Neblina em Feira de Santana

Densos nevoeiros nas manhãs feirenses de inverno

Os dias começam a ficar mais quentes na Feira de Santana. As baixas temperaturas registradas entre junho e julho – coisa rara nesses tempos de tanta discussão sobre aquecimento global – parece que não vão se repetir até o final do inverno. E ontem a serra de São José, envolta em frequentes chuviscos prateados e em névoa constante desde o início do inverno, amanheceu muito nítida, com o verde da vegetação renovada se insinuando e a palidez da rocha refletindo a luz límpida do sol. Quem saiu agasalhado precisou se despir, ajustar-se à temperatura elevada pelo calor vigoroso. Os nevoeiros

Orgulho de ser gari em Feira de Santana

Toneladas de lixo são retiradas diariamente das vias públicas da cidade de Feira de Santana. Não importa se o trabalho é feito durante o dia ou durante a noite, o importante é que centenas de pessoas realizam esse trabalho que, para a maioria de nós, passa despercebido. Além de não termos a necessária atenção para os trabalhadores que realizam a limpeza pública na cidade, há ainda quem atrapalhe essa atividade, depositando lixo em lugares indevidos.

Embora muitas vezes não sejam percebidos, os garis fazem muita diferença caso não realizem seu trabalho, pois os danos causados ao meio ambiente e à saúde pública são devastadores. Fomos conhecer alguns desses profissionais, para saber um pouco de seu dia-a-dia e dos desafios da profissão, entre eles o preconceito sofrido pela importante atividade que exercem.

Os garis de Feira de Santana

Gari há 13 anos, Raimundo Pereira diz que as tarefas dos coletores de lixo não é valorizada por boa parte da população, que ignora os benefícios que o trabalho deles traz para a cidade. “Não é uma profissão fácil, mas para mim é gratificante exercê-la, pois é através desse ofício que sustento minha família.Tem dia que chego a correr 40 quilômetros pegando sacolas com lixo, e as pessoas não reconhecem”, contou.

“Adoro o que eu faço, esse é um emprego que caiu do céu para mim.”

Os garis de Feira de Santana

Já Fabiana Silva, trabalha há dois anos como gari, e mostra satisfação ao falar do ofício: “É com ele que sustento meus filhos e ainda arrumo tempo para cuidar de mim e da minha casa. Muitas pessoas me perguntam se eu não tenho vergonha e eu digo sempre… Adoro o que eu faço, esse é um emprego que caiu do céu para mim. E como mulher eu digo sempre que não preciso trabalhar desarrumada só porque sou gari, tenho minha vaidade aqui também, mas quando largo o serviço eu posso ficar ainda mais linda”, diz Fabiana dando gargalhadas.

Os garis de Feira de Santana

Quando perguntado ao gari Marcelo Souza sobre o respeito das pessoas em relação a sua profissão, ele diz que não tem problemas: “Muitas pessoas, principalmente no comércio, já deixam o lixo arrumadinho. Pedimos para eles não acumularem lixo em um determinado local e eles fazem. Essa fase de preconceito com os garis acho que está lá no passado. Hoje em dia as pessoas respeitam e muito. Lógico que tem alguns casos, mas mito pouco”.

Os garis de Feira de Santana

Outro ponto a ser observado são as intempéries por que passam esses profissionais. O gari Renivaldo Bispo lembra que eles enfrentam sol e chuva constantemente. Apesar disso, ele não esmorece: “Eu tenho orgulho e trabalho por amor. Já tive outras profissões e oportunidades de emprego, mas em nenhum lugar tive a satisfação que tenho hoje”.

Como se vê, apesar de todos os desafios, as pessoas que se dedicam à limpeza das ruas de Feira de Santana se esforçam, com orgulho e amor, para tornar a convivência da comunidade mais saudável e harmoniosa. São profissionais dignos de respeito e atenção por cada cidadão feirense.

 


Sobre o (a) autor (a):