De arrepiar! O novo clipe da banda feirense Calafrio

A banda feirense Calafrio acaba de lançar seu novo clipe, “A mão Pesada do Destino”, uma produção cinematográfica de primeiríssima qualidade, que pode ser comparada a clipes produzidos para o mercado nacional – mesmo sendo uma produção independente. A Calafrio é uma banda com 11 anos de estrada e três discos lançados (“Ácido Céu”, “Para Ambos os Lábios” e “Bater de Frente”). Após algumas mudanças em sua composição hoje conta com Pedro Patrocínio (Guitarra e Vocal), Siddhartha Gautama (Vocal e Guitarra), Robson Sousa (Bateria) e Bruno Mendes (Baixo). O clipe foi gravado em um dos mais tradicionais redutos da boemia feirense, o

Raimundo de Oliveira

Raimundo de Oliveira: o pintor feirense que expôs em Paris e Nova York

“O profeta Raimundo, grande da pintura brasileira, carregado de drama, de solidão e de pecado, é no entanto o mais alegre e terno, o mais puro e numeroso, jamais sozinho pois sua palavra é de solidariedade e sua mensagem é o amor entre os seres humanos, é a alegria fluindo dos pincéis e de seu coração. É o profeta de Feira de Sant’Ana, lá vem montado em seu jumento e vai levar sua carga de amor aos confins do mundo”. Assim o escritor Jorge Amado descreveu o artista feirense Raimundo Falcão de Oliveira, um dos maiores nomes das artes plásticas

Santini & Trio

Santini & Trio vence o Prêmio Caymmi de Música

Feira de Santana foi destacada no Prêmio Caymmi de música, que pode ser considerada a principal premiação da música baiana na atualidade. Concorrendo com iniciativas musicais de todo o estado, o grupo feirense Santini & Trio foi vencedor na categoria “Melhor Banda”. O prêmio de melhor instrumentista também veio para Feira de Santana, entregue ao baterista Flaviano Gallo (integrante do Santini & Trio).   Integram o grupo o guitarrista Rony Santini, o baterista Flaviano Gallo, o pianista e acordeonista Rogério Ferrer e o baixista Anderson Silva.   Um orgulho para quem é feirense e (re)conhece a qualidade da nossa música

Justiniano entra com Mandado de Segurança contra José Ronaldo

Está no portal do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) um pedido de Mandado de Segurança impetrado pelo vereador eleito e atual secretário de Serviços Públicos da Prefeitura Municipal de Feira de Santana, Justiniano França. Justiniano, através da advogada Lady Daiane da Silva, alega ter pedido exoneração do cargo, tendo sido a solicitação indeferida pela Prefeito Municipal José Ronaldo. O pedido de liminar já foi julgado pelo Juiz Gustavo Rubens Hungria, que deu o prazo de 5 dias para que o Prefeito exonere o Secretário, sob pena de multa de R$1.000,00 mil reais: Veja aqui a decisão na íntegra! Fontes

Estrada Feira-Serrinha

Viagem entre Feira e Serrinha segue como calvário

Apenas 65 quilômetros separam Feira de Santana de Serrinha através da BR 116 Norte. O intercâmbio entre as duas cidades é intenso: muita gente sai daquela cidade para fazer compras e acessar serviços por aqui, em função dos preços mais em conta; outros buscam atendimento especializado na área de saúde; há aqueles que residem numa cidade e trabalham na outra, robustecendo o fluxo entre as duas localidades; estudantes de Serrinha são alunos da Uefs e de outras instituições de ensino superior feirenses; e não falta quem resida na Feira de Santana, mas frequente o campus da Uneb lá em Serrinha,

Galeria Caribé – Galerias tradicionais de Feira de Santana

Nos dias de hoje quem passa pelo Calçadão Sales Barbosa (na altura do Mercado de Arte) ou pela Avenida Getúlio Vargas (na altura da Praça da Bandeira) não desconfia que exista uma artéria de estabelecimentos comerciais ligando as duas vias, até por conta da intensa movimentação e ocupação informal do espaço naquela região. Mas ali está a primeira galeria de Feira de Santana, a Galeria Caribé, fundada no ano de 1960.

De acordo com o jornalista e memorialista Adilson Simas, em 28 de maio de 1960 o comerciante Francisco Barbosa Caribé, conhecido como Chiquinho Caribé, trouxe para a cidade a novidade. Além de comerciante, Francisco foi o último prefeito nomeado entre o fim do Estado Novo e as novas eleições pós-redemocratização (em 1947).

Francisco Caribé - Galeria Caribé

Hoje a Galeria Caribé é um desses espaços feirenses que preserva o espírito empoeirado do passado, com estabelecimentos quase nada conectados com a modernidade.

São poucos estabelecimentos, pois a própria galeria tem extensão curta, comparada com os shoppings contemporâneos. A maioria dos espaços é ocupada por relojoarias, que vendem principalmente relógios usados, além de realizar consertos e reparos. Entre lupas, engrenagens e pinos, os relojoeiros trabalham minuciosamente para fazer o tempo girar. Testemunhar esses profissionais da Galeria Caribé é uma experiência estética que remete à Invenção de Hugo Cabret, o filme de Scorsese.

Senhoras criteriosas escolhem as linhas e agulhas de crochê num armarinho ali instalado. As prateleiras e estantes denunciam a longevidade do local: muitos casacos, xales e outras peças de lã feirenses brotaram daquela fonte. O nome do armarinho está escrito em letra medieval, outro indício de uma época que saiu da moda.

Armarinho na Galeria Caribé

A Galeria Caribé também abriga, em sua única esquina, um verdadeiro antiquário de CDs, DVDs e fitas K7. Discos clássicos são encontrados nos mais diversos gêneros: Cartola, Janis Joplin, Bee Gees, Elymar Santos, Roberto Carlos e muito mais. O lugar é um quilombo de resistência ao digital.

Galeria Caribé

Galeria Caribé

Já no corredor que desemboca na Avenida Getúlio Vargas, imagens de santos católicos estão dispostas em toda a parede. É o mostruário de uma loja de artigos católicos, que vende livros, suprimentos para altares, roupas e artigos de decoração com temas cristãos. Santo Antônio, São Jorge, São Francisco, as diversas Nossas Senhoras… várias expressões do sagrado imantando o corredor antigo da primogênita galeria de Feira de Santana.


Sobre o (a) autor (a):