Rio Jacuípe

O Feirenses vai voltar!

O Feirenses vai voltar!

Desde quando iniciamos, em maio de 2015, sabíamos que fazer o Feirenses seria desafiador. Uma iniciativa completamente independente, sem vínculos com quaisquer organizações (públicas ou privadas) e ambiciosa: criatividade, inovação, profundidade, originalidade, democracia e coletividade foram algumas palavras-chave que os/as fundadores/as entusiasticamente pronunciavam em cada conversa pré e pós-produção dos conteúdos. Três anos após a primeira publicação, podemos dizer com orgulho que contribuímos para o ambiente de publicações em Feira de Santana, e que tudo estaria bem se continuássemos hibernando – como ocorre há quase um ano. Importante dizer que essa suspensão das atividades do Feirenses deu-se pela própria natureza

Festival de Samba de Feira de Santana

Feira de Santana terá seu primeiro Festival de Samba

O Coletivo Unidos Pelo Samba promove entre os dias 2 e 9 de dezembro o I Festival de Samba de Feira de Santana. O evento visa promover diálogos e experiências de valorização e reconhecimento do samba na cidade, além de comemorar o Dia do Samba (2 de dezembro). Pela primeira vez receberá esse tipo de evento, reunindo experiências e vivências de compositores, sambistas e admiradores do samba com o público em geral. Na programação, rodas de samba e rodas de conversa que acontecerão no Mercado de Arte Popular (MAP) e em outros pontos da cidade. De acordo com o cantor

Feira Noise Festival

Feira Noise começa nesta quinta

Começa nesta quinta-feira (24) e prossegue até o próximo domingo (26), a sétima edição do Festival Feira Noise. O evento é promovido pelo Feira Coletivo Cultural e contará com apresentações musicais de artistas de todo o Brasil,  além de espetáculos de dança, rodas de conversa, intervenções de artes visuais e outras atividades. Maior festival independente da Bahia, o Feira Noise será aberto na quinta, às 19 horas, no teatro do Centro de Cultura Amélio Amorim, com a palestra Delírios Utópicos, proferida pelo teórico da contracultura e pensador contemporâneo Cláudio Prado, colunista da Mídia Ninja. Também teremos no primeiro dia do

Roberto Kuelho

Roberto Kuelho ganha Prêmio Palco MP3 com CD Sense Bulir

Um ano após o lançamento do CD Sense Bulir, o cantor Roberto Kuelho colhe frutos de seu trabalho. O artista baiano, e feirense, é um dos ganhadores do Prêmio Palco MP3 na categoria “Word Music”. O prêmio é uma realização do Palco MP3, o maior portal de música independente do Brasil. Entre as músicas em destaque no site estão “Nem precisa ser amor” e “Bem no Auge”, que foi ouvida mais de 115 mil vezes. “Esse prêmio nos deixa feliz por ser os primeiros resultado de um trabalho feito com carinho. Mostra que nosso som está encontrando as pessoas certas”,

Ciro Gomes

A palestra completa de Ciro Gomes em Feira de Santana

O presidenciável, ex-ministro dos governos Itamar Franco, Lula e Dilma, um dos criadores do Plano Real e ex-Governador do Ceará, Ciro Gomes, esteve em Feira de Santana no dia 1 de novembro, palestrando na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Na oportunidade, respondeu a perguntas de alunos e professores da Universidade. Veja o evento na íntegra:  

Exposição VerAcidade. Nasce o Coletivo Transitório!

Há alguns anos, eu fazia parte do rol que dizia que em Feira não havia nada pra se ver. Uma mistura de enganos reconhecidos e de transformações locais hoje me dão a certeza de que aqui há muito a ser visto e sentido. Que pode crescer mais, é verdade. Mas já temos um caminho sendo traçado e estamos com (mais) olhos mais atentos. Além, claro, de que temos uma cidade culturalmente rica que precisa e espera ser (mais) enxergada.

É preciso VerAcidade? É o que questionam os integrantes do Coletivo Transitório: Adriano Machado, Deisiane Barbosa, Kelvin Marinho, Lucas Alves, Yasmin Nogueira e Levy Costa. Três formandos e três formados em Artes Visuais pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, que estarão expondo seus olhares reais e fictícios (é preciso “veracidade”?) no Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira – MAC, a partir de amanhã (23 de julho), com abertura às 19h30.

A Exposição VerAcidade traz as obras desses seis artistas visuais que, cada um com a sua vertente, dialogam com a cidade, com o urbano. Fotografias, videoartes, instalações, fotoperformances e intervenções urbanas trazem a CIDADE como ponto de partida, que se desdobra em outros eixos: o CORPO, o TRÂNSITO, o DESEJO e o OUTRO.

Coletivo Transitório

Coletivo Transitório. Foto: Divulgação

Abaixo, um pouco do trabalho do Coletivo:

Você verá LEVY COSTA através de suas fotografias, nas quais mostrará os seus incômodos e seus questionamentos sobre a vida. Escolheu a cidade (a casa, a rua, demais lugares onde ele transita) como cenário para mostrar os seus desconfortos através da sua série intitulada “Surto”.

Palavras-chave: Levy, Fotografia, Publicidade, Lambe Lambe, Incômodos

Você verá DEISIANE BARBOSA em cartões postais nascidos da junção da fotografia de residências com suas “Cartas a Tereza”. Deisiane mapeou 20 desconhecidas Terezas feirenses e para cada uma enviou um de seus cartões postais, um trecho de carta, um convite para a Exposição VerAcidade. Será que elas vão aparecer?

Palavras-chave: Deisiane, Fotografia, Literatura, Cartões postais, Tereza

Você verá LUCAS ALVES em seus desenhos de anúncios, através dos quais procura pessoas já vistas em alguns lugares por onde passou. Lucas espalhou esses anúncios por aí. As pessoas também estão por aí espalhadas. Ele também será visto na “Escuta de bus”, em seu caderno de frases escutadas no ônibus e, mais ainda, nos áudios originais, gravados em seus itinerários, e que você poderá ver e ouvir também.

Palavras-chave: Lucas, Anúncios, Desenhos, Procura-se, Escuta de bus

Você verá KELVIN MARINHO em seus santinhos, um modo de expor os seus fotopoemas transitórios, que ele entrega aos transeuntes, assim en passant. Ele também poderá ser visto em poças d’água. Quer saber o porquê?

Palavras-chave: Kelvin, Santinhos, Fotopoemas transitórios, intervenção urbana, poças d’água

Você verá YASMIN NOGUEIRA em sua performance de silhuetas inspiradas na artista cubana Ana Mandieta e no Mito de Ofélia, e contornadas com elementos do mar. Além disso, Yasmin será vista em seu livro de artista, uma linha do tempo com impressões desde o início do seu trabalho até aqui.

Palavras-chave: Yasmin, Silhuetas, Mito de Ofélia, Ana Mandieta, água.

Você verá ADRIANO MACHADO em sua série de cartazes desgastados pelo tempo, fixados em madeirite igualmente carcomido. Uma espécie de estética do desgaste.

Palavras-chave: Adriano, cartazes, desgaste, tempo

Lucas Alves

Um pouco do trabalho de Lucas Alves

Deisiane Barbosa

Momento produtivo de Deisiane Barbosa

Um pouco do trabalho de Levy Costa

Um pouco do trabalho de Levy Costa

E você não somente verá mais que isso como também poderá participar: a programação também conta com oficinas e diálogo com os artistas. Entre eles, estará Ludmila Britto, artista visual e professora de História da Arte, integrante do Grupo de Interferência Ambiental – GIA.

Entre os dias 23 de julho e 21 de agosto, é preciso ir ao MAC e VerAcidade.

Ah! A abertura da exposição ocorrerá no dia do 19º aniversário do Museu. Vida longa às artes!

Coletivo VerAcidade

Mais informações no Facebook da Exposição VerAcidade.


Sobre o (a) autor (a):