União Médica

Crianças feirenses com Câncer recebem presente único

É muito comum que pessoas diagnosticadas com câncer tenham uma mudança grave em seu estilo de vida. O tratamento envolve desgastes físicos e emocionais significativos, exigindo um esforço pessoal e familiar fora do comum. No caso das crianças com câncer, a dificuldade se aprofunda, já que a infância é um período fundamental para o desenvolvimento da personalidade e do caráter de todo indivíduo. Nesse sentido, o ambiente familiar e social saudável torna-se imprescindível para compensar as dificuldades trazidas pela doença. A criança com câncer não pode ser menos criança: deve ter acesso a diversões, brincadeiras, atenção e inventividade próprios da

SAMU

Trote para o SAMU terá multa em Feira

O Governo Municipal sancionou a Lei 3.761, de 9 de outubro de 2017, que dispõe sobre a imputação de multas para os praticantes de trotes contra o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, o SAMU. Veja alguns artigos da Lei: Art. 1º – Fica passível de multa os proprietários de linhas telefônicas cujos aparelhos sejam utilizados para a prática de trotes contra o SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Art. 2º – Identificando o número do telefone do infrator, este será encaminhado pelo SAMU através de um relatório às respectivas empresas telefônicas para que as mesmas forneçam os nomes

Desemprego em Feira de Santana

Emprego em Feira pode alcançar quarto ano de saldo negativo

Semana passada houve um festivo balanço sobre o desempenho da economia brasileira nos oito primeiros meses do ano. Em meio aos confetes, às autocongratulações, ao otimismo acerca do futuro redentor, alguém ponderou que é precoce assegurar que o pior já passou para o mercado de trabalho. Mas a advertência se perdeu em meio à algazarra que busca sufocar os vexatórios escândalos de corrupção que, a cada semana, ganham um novo capítulo, envolvendo Michel Temer (PMDB-SP), o mandatário de Tietê, e sua retaguarda palaciana. O raciocínio é oportuno, conforme uma análise superficial sobre os números mais recentes atesta. Embora registre tênue

Ensino Religioso

Escola sem partido, mas com religião

Quando criança, assisti às inevitáveis aulas de religião na escola. A professora era uma espécie de beata, muito afável e risonha, que frequentava a igreja católica ali do Alto do Cruzeiro, nas imediações do Sobradinho. Naqueles tempos, boa parte da população era católica. Eu próprio tive formação católica: assim, embora não me recorde mais do conteúdo das aulas, lembro que aquilo não me causava estranhamento. Tudo mudou quando cheguei à antiga sétima série, noutra escola: autoritária e intolerante, a professora provocava estranhamento e, não raras vezes, ojeriza à classe. Cavoucando a memória, recordo de uma freira que, uma vez por

Eliana Lima

Entrevista com Eliana Lima [Feirenses TV]

A Feira do Livro – Festival Literário e Cultural de Feira de Santana – nasceu da necessidade de despertar os dirigentes de instâncias públicas, privadas e filantrópicas para a importância de implementar políticas públicas do livro e da leitura na sociedade, e assim possibilitar o acesso de pessoas das diversas esferas sociais ao universo da leitura e das realizações culturais. A Feira já se consolidou como um evento importante para reunião de pessoas em torno da arte, da cultura e do entretenimento. Ela vem se constituindo como uma ação sociocultural que visa a potencializar a formação do leitor de todas

Duas destacadas cervejarias artesanais feirenses

Em outras cidades brasileiras já é bastante comum encontrar em bares e restaurantes alternativas às populares cervejas pilsen, conhecidas no Brasil através de marcas como Brahma, Skol, Schin, Itaipava e semelhantes. Em Feira, sabem os frequentadores da “boêmia” feirense, esse é um fenômeno recente, onde ainda poucos lugares oferecem alternativas às líderes de mercado.

A boa notícia é que há cervejeiros feirenses dedicados a expandir a produção, comercialização e consequente degustação de cervejas artesanais/especiais. Há espaço não só para aquelas que despontam no cenário nacional e internacional, mas também para brejas com a certidão de nascimento de Feira de Santana.

Nesse sentido, duas cervejarias artesanais se destacam, semeando em Feira de Santana uma cultura ascendente de apreciação de boas cervejas: a Cervejaria Sméra e a Cervejaria Sertões. Vamos conhecer um pouco mais sobre ambas neste artigo.

Cervejaria Sméra

Cervejaria Sméra

A Cervejaria Sméra foi fundada por Luiz Sméra, feirense de 25 anos, que conta como teve seu primeiro contato com cervejas especiais: “Um dia fui fazer um risoto e no mercado só tinham vinhos brancos secos muito caros (bastante mesmo), e eu só precisava de uma xícara. Comecei a procurar na internet alguma bebida seca, e vi que cervejas do tipo Witbier tem essa característica. Resultado: comprei uma Hoegardden. Quando cheguei em casa, fiz o risoto, não ficou nada bom, assumo, mas provei a cerveja, natural mesmo, e vi que era muito diferente das comerciais que tinha o costume de consumir. Digo consumir pois só comecei a beber cervejas a partir daí, dia que vi que existiam sabores diferentes”.

A partir dessa experiência Luiz passou a ler sobre cervejas, até descobrir que era possível criar sua própria bebida. “Corri atrás de cursos online, vídeos na internet, livros, e fiz a Pequenina, a primeira cerveja que ‘deu certo'”, diz ele. Daí em diante buscou mais aprofundamento, até realizar um curso na Cervejaria Bodebrown, em Curitiba. “Comecei a produzir minhas cervejas e criar receitas baseadas nos meus estudos sobre os insumos (água, malte, lúpulo e levedura), mas logo de cara fiz a Pancada, minha Pale Ale com rapadura que foi muito bem aceita por quem provou, o que me incentivou a comercializar e ir atrás de mais conhecimento”.

Luiz Sméra

Luiz Sméra: 19 rótulos produzidos.

Desde então Luiz Sméra produziu diversas cervejas – “contadas e registradas, são 19” – com destaque para a Pancada, a Uí Révi, Bode Véio e Nuclear (que já recebeu até maturação em barril de cachaça). Luiz voltou à Bodebrown com algumas cervejas produzidas, e recebeu elogios de Samuel Cavalcanti, mestre cervejeiro curitibano, e um dos maiores nomes no Brasil e no mundo.

Sméra lembra que a cena cervejeira em Feira de Santana ainda é muito jovem, e ainda tem muito a crescer: “desconheço algum feirense que faz cerveja há mais de 2 anos”.

Para entrar em contato com a Cervejaria Sméra, acesse a página do Facebook, Instagram ou ligue para (75) 9-9131-9184.

Cervejaria Sertões

Cervejaria Sertões

Matheus Barros é um dos fundadores da Cervejaria Sertões, que, junto com a Sméra, tem ganhado destaque entre os apreciadores de cervejas especiais em Feira de Santana. “Quando tomei a iniciativa de produzir cervejas artesanais, já conhecia um pouco do universo cervejeiro como degustador. Nos papos informais, e nos momentos etílicos, fomos amadurecendo a ideia. Diante dessa realidade, a brincadeira foi ficando mais séria. Eu, Thiago e Rico decidimos produzir com mais freqüência, alugamos um local mais apropriado e investimos em materiais que pudessem dar maior eficiência para o processo. Hoje temos a capacidade mensal de produzir 400 litros de cerveja”, diz Matheus.

Sociólogo, Matheus diz que no período de nascimento da Cervejaria estava lendo “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa: “Fiquei apaixonado! Paralelamente a esse processo, estava concentrado, também, na historiografia feirense. O nome Cassino Irajá, nossa primeira cerveja, foi pensado a partir da leitura do texto de Clóvis Ramaiana. Queria associar o nova forma de consumo – de cervejas especiais – com um elemento histórico que remetesse a um hábito ‘moderno’. Por conta disso, associei o nome da cerveja ao antigo cassino da cidade”.

Matheus, Tiago e Rico, os fundadores da Cervejaria Sertões

Matheus, Tiago e Rico, os fundadores da Cervejaria Sertões

Ele afirma a conexão entre a cervejaria e os elemento culturais da cidade: “Conforme toda essa perspectiva, a Sertões abre veredas por essas bandas. Mexendo com a memória do nosso povo, pretendemos, mesmo que de forma “amistosa”, continuar brincando com signos de nossa cidade. Tudo isso, é claro, regado de muita cerveja”.

Para entrar em contato com a Cervejaria Sertões acesse o Facebook, Instagram ou ligue para (75)9-8172-7999.


Sobre o (a) autor (a):