Santini & Trio

Santini & Trio vence o Prêmio Caymmi de Música

Feira de Santana foi destacada no Prêmio Caymmi de música, que pode ser considerada a principal premiação da música baiana na atualidade. Concorrendo com iniciativas musicais de todo o estado, o grupo feirense Santini & Trio foi vencedor na categoria “Melhor Banda”. O prêmio de melhor instrumentista também veio para Feira de Santana, entregue ao baterista Flaviano Gallo (integrante do Santini & Trio).   Integram o grupo o guitarrista Rony Santini, o baterista Flaviano Gallo, o pianista e acordeonista Rogério Ferrer e o baixista Anderson Silva.   Um orgulho para quem é feirense e (re)conhece a qualidade da nossa música

Justiniano entra com Mandado de Segurança contra José Ronaldo

Está no portal do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) um pedido de Mandado de Segurança impetrado pelo vereador eleito e atual secretário de Serviços Públicos da Prefeitura Municipal de Feira de Santana, Justiniano França. Justiniano, através da advogada Lady Daiane da Silva, alega ter pedido exoneração do cargo, tendo sido a solicitação indeferida pela Prefeito Municipal José Ronaldo. O pedido de liminar já foi julgado pelo Juiz Gustavo Rubens Hungria, que deu o prazo de 5 dias para que o Prefeito exonere o Secretário, sob pena de multa de R$1.000,00 mil reais: Veja aqui a decisão na íntegra! Fontes

Estrada Feira-Serrinha

Viagem entre Feira e Serrinha segue como calvário

Apenas 65 quilômetros separam Feira de Santana de Serrinha através da BR 116 Norte. O intercâmbio entre as duas cidades é intenso: muita gente sai daquela cidade para fazer compras e acessar serviços por aqui, em função dos preços mais em conta; outros buscam atendimento especializado na área de saúde; há aqueles que residem numa cidade e trabalham na outra, robustecendo o fluxo entre as duas localidades; estudantes de Serrinha são alunos da Uefs e de outras instituições de ensino superior feirenses; e não falta quem resida na Feira de Santana, mas frequente o campus da Uneb lá em Serrinha,

Meia Noite em Feira

Meia noite em Paris Feira

Meia-Noite em Paris é uma das obras primas do mestre Woody Allen. Como de costume, ele narra sobre a vida. Logo após a projeção ficamos com aquele ar de reflexão sobre onde nos encontramos no momento, se gostamos do jeito que estamos vivendo, como nos relacionamos e como devemos encarar algumas realidades. Em certo momento do longa, o personagem Gil (Owen Wilson) faz a seguinte pergunta: “Como esta cidade pode ser tão mágica?”. Gil se encanta por Paris. Enxerga o que aquela cidade pode oferecer. Se sente bem ali, absorve inspiração para seus projetos e o faz refletir, repetidamente, se

Neblina em Feira de Santana

Densos nevoeiros nas manhãs feirenses de inverno

Os dias começam a ficar mais quentes na Feira de Santana. As baixas temperaturas registradas entre junho e julho – coisa rara nesses tempos de tanta discussão sobre aquecimento global – parece que não vão se repetir até o final do inverno. E ontem a serra de São José, envolta em frequentes chuviscos prateados e em névoa constante desde o início do inverno, amanheceu muito nítida, com o verde da vegetação renovada se insinuando e a palidez da rocha refletindo a luz límpida do sol. Quem saiu agasalhado precisou se despir, ajustar-se à temperatura elevada pelo calor vigoroso. Os nevoeiros

Uma cervejaria que conta a história de Feira de Santana

Em Feira de Santana existe certa tendência empreendedora que se apoia na negação da cidade como estratégia de sucesso. A ideia é representar um ideal moderno e estrangeiro dissociado das raízes históricas e culturais de Feira, e, não raro, cobrar mais caro por isso.

Daí surge a necessidade da valorização de iniciativas que, na contramão do modismo sem legitimidade cultural, afirmam Feira de Santana no seu modelo de negócio, trazendo não só bônus econômicos para o município, mas também o fortalecimento de uma identidade genuinamente feirense. É o caso da Cervejaria Sertões, que vem se tornando referência em cervejas artesanais em Feira de Santana e fora da cidade.

Matheus Barros, sociólogo e um dos sócios da Cervejaria, explica um pouco do conceito por trás da Sertões: “A Cervejaria Sertões é uma inciativa para a cidade. Todos os nossos rótulos falam sobre Feira de Santana e seus processos modernizadores. Nossa perspectiva estética e identitária está permeada por esse nosso desejo de falar do nosso lugar, da nossa cultura, do nosso povo. Os rótulos iniciais que lançamos falam sobre uma Feira em transformação, uma Feira que entra no jogo do ‘progresso’. Na história que contamos nos rótulos respeitamos a diversidade do nosso povo, tal como os símbolos que fizeram/fazem parte da nossa história. Falar sobre Feira é a nossa estratégia de mercado!”.

Os sócios Murilo, Matheus e Thiago

Os sócios Murilo, Matheus e Thiago

A Cervejaria Sertões trabalha atualmente com quatro rótulos – todos com temáticas feirenses. Dois deles falam de históricos espaços de divertimento em Feira: o Cassino Irajá e a Sorveteria Sueto. Os demais fazem referência ao trabalho “Voodoo”, da banda feirense Clube de Patifes e ao Fluminense de Feira, uma inovação e tanto para o mais tradicional clube feirense de futebol.

Os rótulos da Cervejaria Sertões: Cassino Irajá, Touro do Sertão, Sueto e Experiência Voodoo

Os rótulos da Cervejaria Sertões: Cassino Irajá, Touro do Sertão, Sueto e Experiência Voodoo

“Foi nessa caminho que decidimos lançar a cerveja oficial do Fluminense de Feira (o único time da Bahia a ter uma cerveja oficial, e um dos poucos do Brasil). Brincar com esse imaginário, um imaginário tão forte quanto o do Fluminense, é trazer à tona lembranças e signos que estão intrincados nos feirenses. Quando eu era pequeno meu pai sempre me levava ao estádio. Isso ocorreu com muitas pessoas! A vivência do futebol, o contato com outras pessoas despertou uma paixão que, necessariamente não se resume ao time, mas, sim, a uma cidade que proporciona nossas experiências de vida. Sou um amante da Feira!”, diz Mateus entusiasmado.

Touro do Sertão: a cerveja do Flu de Feira

Touro do Sertão: a cerveja do Flu de Feira

No início deste ano a Sertões passou por um processo importante de expansão, abrindo seu próprio bar, onde vende as cervejas autorais, outras cervejas baianas e rótulos especiais conhecidos nacional e internacionalmente. Matheus promete novidades em breve: “Nossa próxima linha falará das subalternidades, de uma Feira que tenciona”, diz ele lembrando que lugares como o Cassino Irajá e a Sorveteria Sueto eram frequentados pela elite feirense.

O bar da Cervejaria Sertões

O bar da Cervejaria Sertões

O Bar da Cervejaria Sertões fica na Avenida Santo Antônio, nº 870, bairro Ponto Central. Além das cervejas artesanais, o espaço oferece drinks especiais e um cardápio de pratos variados.

“Precisamos lidar com nossas memórias, temos que conhecer o nosso passado, tudo isso permite ter outra relação com a cidade, com as pessoas. Feira de Santana precisa, cada vez mais, de feirenses!”, finaliza Mateus, um apaixonado por Feira de Santana.

 

A Cervejaria Sertões está no Facebook e no Instagram.

 


Sobre o (a) autor (a):