Novas regras para utilizar som

As novas regras para utilização de som em Feira de Santana

Foi publicada no Diário Oficial de Feira de Santana uma nova Lei tratando sobre a emissão de sons urbanos, fixando níveis e horários em que será permitida a emissão, além de possibilitar doação, leilão e destruição de equipamentos sonoros apreendidos. De acordo com a Lei 3.736, os níveis máximos de sons e ruídos, de qualquer fonte emissora e natureza, em empreendimentos ou atividades residenciais, comerciais de serviços, institucionais, industriais ou especiais, públicas ou privadas, sons e ruídos causados por máquinas, motores, compressores ou geradores estacionários, assim como em veículos automotores são de: 60 db (sessenta decibéis), no período compreendido entre

Cadastramento Biométrico

A interminável espera para o recadastramento biométrico

Tenho visto, com frequência, reclamações de eleitores sobre a dificuldade de fazer o cadastramento biométrico no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aqui na Feira de Santana. O serviço, pelo que percebo, é péssimo nas duas modalidades: seja tentando agendar horário pela Internet, seja comparecendo ao posto para enfrentar filas monumentais e ficar, horas intermináveis, aguardando atendimento, exposto ao sol, à chuva e a uma humilhação injustificável. Adepto moderado das novas tecnologias – e de um mínimo de comodidade – tento, há semanas, agendar o bendito atendimento, sem sucesso. Invariavelmente, as vagas são todas preenchidas em alguns poucos minutos: nunca consegui, sequer,

Superlotado, Conjunto Penal segue esquecido no noticiário

O Conjunto Penal de Feira de Santana abriga, no total, quase dois mil internos. São, precisamente, 1.912 pessoas encarceradas na unidade prisional. Há muito mais gente do que vaga: oficialmente, existe capacidade para abrigar 1.356 internos. A quantidade de presos excedentes, portanto, está em exatos 556. É gente suficiente para lotar um desses presídios modernos, nos quais se alojam menos internos. Note-se que, recentemente, a unidade penal feirense passou por uma ampliação. Os números acima são oficiais e integram um balanço recente, referente ao mês de julho, divulgado pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária e Ressocialização, a SEAP. No interior,

Por que as motos de baixa cilindrada inundam o trânsito de Feira

Em São Paulo-SP, existe uma motocicleta para cada 15 habitantes. Em Salvador, são 22 habitantes para cada motocicleta. Em Aracaju, para cada motocicleta, há 10 habitantes. Em Feira de Santana, são apenas 6 habitantes por motocicletas. A quantidade de motonetas, motos dirigidas pelo condutor em posição sentada, em Feira de Santana chama ainda mais a atenção. No ranking nacional, de acordo com dados do DENATRAN (2016), Feira fica atrás apenas de seis capitais na quantidade de motonetas. Estamos à frente de metrópoles como Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Fortaleza. São mais de 18 mil motonetas contabilizadas no município. Para

Maryzélia no Encontro

Cantora feirense Maryzélia participa do Encontro com Fátima [vídeos]

A sambista feirense Maryzélia conquistou mais um degrau de visibilidade nacional nesta terça, com a participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, da Rede Globo. Maryzélia cantou com Pretinho da Serrinha, cantor, compositor, instrumentista que tem parcerias em sua carreira com grandes nomes da MPB, a exemplo de Beth Carvalho, Arlindo Cruz, Seu Jorge, Marisa Monte, Lulu Santos, Dona Ivone Lara, Caetano Veloso e Teresa Cristina. Veja alguns momentos da participação de Maryzélia:  

Os cachorros da UEFS

Mesmo com mobilizações cada vez mais frequentes contra o abandono e maus tratos de animais, essas ainda são realidades presentes em cidades como Feira de Santana.

Uma comprovação disso é o índice de cães abandonados no campus da Universidade Estadual de Feira de Santana, até cinco animais (entre cães e gatos) por dia, de acordo com funcionários da própria Universidade.

Há aproximadamente dez anos a instituição cuida de animais de diversas espécies que são abandonados na localidade, muitos deles chegando muito debilitados e precisando de cuidados médicos especializado. Alguns estudantes, voluntariamente, fazem os procedimentos adequados para cada caso. Mais de trinta cachorros estão circulando constantemente pelas áreas da Reitoria, onde são alimentados.

Cachorros UEFS

Filhotes de cachorros abandonados na UEFS

Romualdo de Jesus, que trabalha há trinta anos na instituição, atua diretamente no apoio e cuidado com os cachorros e gatos. Ele é enfático em ao dizer que é muito doloroso ver a situação em que as pessoas abandonam os animais. “Muitas vezes o estudante, ou qualquer outra pessoas chega com o cachorro na coleira passeando, e quando vamos ver já deixaram aqui. A partir daí nós damos vacina, alimentação e os cuidados necessários para o momento”.

Romualdo de Jesus

Romualdo de Jesus

É a própria UEFS que custeia o cuidado com os animais: “Chegamos a gastar cerca de 300 quilos de ração por semana, e tudo isso com recursos próprios da UEFS. Só recebemos ajuda do Centro de Zoonose da cidade, que castra os animais e dão o apoio necessário”.

“Tem uns quinze dias que uma moça veio andando com uma caixa na mão e eu fiquei aqui observando. Quando vacilamos a caixa estava aberta e tinha um filhote de cachorro.”

“Eles aqui não se sentem abandonados, além de alimentação recebem carinho de nós e dos estudantes, cuidamos como se fossem nossos. Muitos deles dão banho, mas essa tarefa fica mesmo por conta de alguém que se solidariza e dar o banho, pois o tempo é curto e a quantidade de animais é grande para isso. Essa é a única coisa que não temos com assiduidade”, diz Romualdo.

Os cachorros da UEFS

Durante a reportagem, o funcionário da UEFS chegou a ficar comovido: “Nunca ninguém veio aqui para falar sobre esse assunto, chego a me emocionar em saber que alguém sabe que esse trabalho é realizado. Tem uns quinze dias que uma moça veio andando com uma caixa na mão e eu fiquei aqui observando. Quando vacilamos a caixa estava aberta e tinha um filhote de cachorro. Ai nós pegamos, cuidamos e tá lindo o bicho. O ser humano é muito ruim, você não tem noção do estado em que esses bichos chegam aqui, mas graças a Deus trabalhamos com amor e por amor, e por isso que d’ tão certo nosso trabalho. Ontem castramos dez deles, e é uma satisfação. Quem se sentir interessado em ajudar a cuidar de nossos animais podem nos procurar que receberemos ajudar fornecida com muita gratidão”.

Quando perguntado sobre sua realização profissional, ele foi claro em dizer que não troca seu trabalho por nenhum outro, e principalmente que se sente realizado em poder fazer o que faz por cada um das dezenas de animais que habitam o campus da Universidade.

Para colaborar com o trabalho de cuidado com os animais, basta se dirigir ao Centro Administrativo Universitário (CAU), Unidade de Infraestrutura, da UEFS (www.uefs.br).


Sobre o (a) autor (a):