União Médica

Crianças feirenses com Câncer recebem presente único

É muito comum que pessoas diagnosticadas com câncer tenham uma mudança grave em seu estilo de vida. O tratamento envolve desgastes físicos e emocionais significativos, exigindo um esforço pessoal e familiar fora do comum. No caso das crianças com câncer, a dificuldade se aprofunda, já que a infância é um período fundamental para o desenvolvimento da personalidade e do caráter de todo indivíduo. Nesse sentido, o ambiente familiar e social saudável torna-se imprescindível para compensar as dificuldades trazidas pela doença. A criança com câncer não pode ser menos criança: deve ter acesso a diversões, brincadeiras, atenção e inventividade próprios da

SAMU

Trote para o SAMU terá multa em Feira

O Governo Municipal sancionou a Lei 3.761, de 9 de outubro de 2017, que dispõe sobre a imputação de multas para os praticantes de trotes contra o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, o SAMU. Veja alguns artigos da Lei: Art. 1º – Fica passível de multa os proprietários de linhas telefônicas cujos aparelhos sejam utilizados para a prática de trotes contra o SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Art. 2º – Identificando o número do telefone do infrator, este será encaminhado pelo SAMU através de um relatório às respectivas empresas telefônicas para que as mesmas forneçam os nomes

Desemprego em Feira de Santana

Emprego em Feira pode alcançar quarto ano de saldo negativo

Semana passada houve um festivo balanço sobre o desempenho da economia brasileira nos oito primeiros meses do ano. Em meio aos confetes, às autocongratulações, ao otimismo acerca do futuro redentor, alguém ponderou que é precoce assegurar que o pior já passou para o mercado de trabalho. Mas a advertência se perdeu em meio à algazarra que busca sufocar os vexatórios escândalos de corrupção que, a cada semana, ganham um novo capítulo, envolvendo Michel Temer (PMDB-SP), o mandatário de Tietê, e sua retaguarda palaciana. O raciocínio é oportuno, conforme uma análise superficial sobre os números mais recentes atesta. Embora registre tênue

Ensino Religioso

Escola sem partido, mas com religião

Quando criança, assisti às inevitáveis aulas de religião na escola. A professora era uma espécie de beata, muito afável e risonha, que frequentava a igreja católica ali do Alto do Cruzeiro, nas imediações do Sobradinho. Naqueles tempos, boa parte da população era católica. Eu próprio tive formação católica: assim, embora não me recorde mais do conteúdo das aulas, lembro que aquilo não me causava estranhamento. Tudo mudou quando cheguei à antiga sétima série, noutra escola: autoritária e intolerante, a professora provocava estranhamento e, não raras vezes, ojeriza à classe. Cavoucando a memória, recordo de uma freira que, uma vez por

Eliana Lima

Entrevista com Eliana Lima [Feirenses TV]

A Feira do Livro – Festival Literário e Cultural de Feira de Santana – nasceu da necessidade de despertar os dirigentes de instâncias públicas, privadas e filantrópicas para a importância de implementar políticas públicas do livro e da leitura na sociedade, e assim possibilitar o acesso de pessoas das diversas esferas sociais ao universo da leitura e das realizações culturais. A Feira já se consolidou como um evento importante para reunião de pessoas em torno da arte, da cultura e do entretenimento. Ela vem se constituindo como uma ação sociocultural que visa a potencializar a formação do leitor de todas

O auxiliar de limpeza feirense que virou artista nacionalmente reconhecido

Idealizado pelo professor Josué Mello em 1995, o Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca) está completando 22 anos em 2017. Com uma arrojada proposta de gestão cultural na Uefs, que alinha preservação de importantes patrimônios de Feira de Santana (conjunto arquitetônico da Conselheiro Franco, e o valoroso acervo artístico sob a guarda do Museu Regional de Arte), a atividades regulares de formação nas diversas áreas e linguagens do campo da arte-educação, além do estímulo às manifestações populares e suas expressões. Tornando-se assim, uma referência regional na promoção da arte e da cultura, tanto para a comunidade acadêmica quanto para a sociedade feirense em geral.

Prova disso, é a história do servidor terceirizado Antônio Pereira. Com 57 anos, “Seu Antônio” cursou até o ensino fundamental, e desde muito jovem trabalha para sustentar a família. “Tonho da Bahia”, como artisticamente é conhecido, é natural de Feira de Santana, e presta serviços na área de apoio e limpeza ao Cuca, local onde também ensaiou suas primeiras pinceladas, e é reconhecido pela presteza e simpatia com que circula por este espaço.

Tonho da Bahia

Há pouco mais de três anos “Tonho da Bahia”, resolveu se integrar às turmas de formação do Cuca, onde cursou aulas de violão, teatro, desenho e pintura. Ele garante que a lida com as tintas sempre despertaram um fascínio e por isso dedicou especial atenção às aulas na OCA (Oficinas de Criação Artística do Cuca), em especial a de desenho, ministrada na época pela professora Avelina Bittencourt, tal como a de pintura, municiada pelo professor Jorge Galeano. Contam os mestres que o desempenho e dedicação do aluno sempre chamou atenção, tal como enfatiza Galeano, que diz: “mesmo após as aulas o aluno continuava a estudar, vejo nele um espontâneo e promissor artista.”

Já são mais de cinqüenta obras pintadas por “Tonho da Bahia” expostas de maneira simples, as quais trazem experiências pessoais, oriundas de sua convivência com o meio. Dentre estas destacamos “Dora”, homenagem à professora do Seminário de Música Doraneide Tosta, docente pela qual o artista tem muito apreço.

Tonho da Bahia

Caracteristicamente figurativa, suas pinturas se encaixam na linguagem Naif, um tipo de arte dotada de liberdade estética e livre de convenções, concebida pelos que pintam com os sentimentos. O ícone da Arte Naif, foi o francês Henri Rousseau, autodidata, que na época em que atuava foi severamente criticado por ignorar princípios básicos de geometria e perspectiva, mas teve o talento posteriormente reconhecido por figuras como Pablo Picasso e Kandinsky.

Com seus traços livres, em Naif, Tonho da Bahia teve sua obra “A Lida Feirense”, submetida à Bienal Internacional de Arte Naïf Totem Cor-Ação em Socorro 2017, através de um edital público, analisada por um grupo de especialistas como Antônio do Nascimento, Augusto Luitgards, Jacques Ardies e Oscar D’Ambrosio. Tal obra fará parte da exposição que terá inicio no dia 29 de setembro e ficará em cartaz até 04 de novembro de 2017, nas dependências do Museu Municipal de Socorro no estado de São Paulo.

Para comparecer ao evento, “Seu Antonio” conta com uma rede de solidariedade, na qual faz parte a produtora cultural Aloma Galeano, que divulgou junto aos meios de comunicação feirense a contemplação na Bienal, assim como Rosângela Politano e Marinilda Bertolete Boulay, coordenadoras da Bienal que junto com a Secretaria de Turismo da cidade de Socorro – SP e do Comtur – Conselho Municipal de Turismo, asseguraram ao artista hospedagem na Pousadas dos Manacás, situada na cidade de Socorro – São Paulo.

Tonho da Bahia

Desde já agradecemos aos administradores deste estabelecimento, pelo incentivo e apoio ao nosso artista. Para tanto, seu Antonio ainda precisa de ajuda para custear gastos com o deslocamento, (aéreo e rodoviário), juntamente com seu acompanhante, assim contamos com a colaboração de todos aqueles que acreditam que a arte não tem fronteiras, nem idade, nem padrão.

Para ajudá-lo, as doações podem ser realizadas através de depósito bancário em nome do artista, no banco Santander na conta corrente de número: 01090256-0, agência: 3682, e/ou diretamente doada ao mesmo, através do Livro de Ouro, que circula no Cuca pelas mãos talentosas de “Seu Antonio”. Outras informações e contatos: mra.cuca@uefs.br.


Sobre o (a) autor (a):